quarta-feira, 11 de novembro de 2009

LENDA DO XÁ DE SAMARKANDA

Em tempos longínquos houve, em Samarkanda, um Xá, que ficou conhecido pela sua bondade e sentido de justiça.
Um dia, resolvendo viajar, saiu da sua cidade, à data capital do Turquestão, acompanhado do seu fiel criado.

Naqueles tempos as viagens eram demoradas e cansativas, por isso o Xá resolveu fazer uma paragem.
Depois de devidamente acomodados na estalagem, disse para o seu criado:
- Vai ao mercado e traz-me fruta fresca.

O criado obedeceu prontamente.
A caminho do mercado apareceu-lhe, de súbito, a Morte, com um ar lívido, disforme, uma boca enorme.
Olhou para o criado com um enorme ar de espanto estampado no rosto.

Aterrorizado, sem fala, o criado, sem pensar em cumprir as ordens de seu amo, retrocedeu de imediato.

Ao vê-lo naquele estado, e sem a fruta, o Xá perguntou o que acontecera, ao que ele respondeu:
- Vi a morte! E ela olhava-me duma maneira assustadora.
Preciso voltar hoje mesmo para Samarkanda, encontrar a minha família. Tens que me deixar sair daqui!
O Xá deixou-o partir, mas ficou a pensar:
– Porque é que a Morte fez isto?
Como desejava mesmo a fruta, pôs de parte os seus pergaminhos, - no fundo, ele era o Xá do Turquestão – e encaminhou-se para o mercado.

Encontrando a Morte, tal como o seu criado a descrevera, perguntou-lhe:
- O que é que o meu criado te fez, ou disse, para o assustares daquela maneira, que o fez fugir sem sequer me levar a fruta?
A Morte respondeu:
- Eu não lhe disse nada! Apenas me admirei de o ver aqui, esta manhã.
É que eu tinha um encontro marcado com ele para esta noite, em Samarkanda.
É para lá que vou já de seguida.

Esta é uma lenda que, a meu ver, transmite esta mensagem:
- NINGUÉM FOGE AO SEU DESTINO

SamarKanda é uma cidade do UZBEQUISTÃO,
ex-república soviética da Ásia Central.


No século VII Samarkanda tornou-se um ponto de escala na Rota da Seda. Aqui se encontravam algumas das principais etapas da Rota da Seda



22 comentários:

direitinho disse...

Admirável esta história.
Podem fazer-se diferentes leituras .
A que fez está correcta. Ninguém poderá fugir ao destino.
Podemos certamente dar-lhe mais tempo e melhores condições de vida.
Poderemos ainda torná-lo eterno pelas boas obras que fizermos em favor de todos os povos e nações.
A morte nunca será superior à lei da vida.
A vida será um dom de Deus que se transformará numa nova vida e se prolongará em estados diferentes.
Eu creio sincéramente.
Se Deus nos criou com tanto amor não foi certamente para sermos vencidos pela morte.
Vejo a morte como uma porta para essa vida sem guerras nem ódios, sem fome nem zangas.
Muitos beijos!
Enquanto podemos dá-los e nos sentimos bem com eles.

Vitor Chuva disse...

Olá Mariazita!
História aparentemente simples, mas que, como costuma dizer-se, daria pano para mangas ... de debate.
Que da morte não nos podemos esconder, como descobriu o criado do Xá,é verdade inquestionável.
Até que ponto nós somos senhores da nossa vida, aqui é que reside o aspecto interessante da questão suscitada pelo texto, em minha opinião.
E, certamente, haverá para esta interrogação respostas muito diferentes, e até contradictórias, de acordo com a sensibiidade de cada um de nós que ouse aceitar o desafio de procurar uma resposta para tão apaixonante questão.
A história é bonita, e desafia-nos a meditar, como seres humanos, sobre o que somos e o que fazemos enquanto andamos por "cá".

Beijinhos.
Vitor Chuva

Luis F disse...

Admirável história. Gostei muito de ler e de conhecer a mesma.

Uma história que daria para muitas análises dado às diferentes leituras que se pode obter na mesma, situação que enriquece ainda mais o texto.

Com amizade
Bj
luis

com senso disse...

Gostei imenso desta história.
Não é possivel adiar o inadiavel. Nem evitar o inevitável. Mas temos que ter permanentemente a lucidez de percebermos quando estamos perante essas situações.
Para mim, sinceramente, é preferivel lutar e eventualmente perder a luta do que simplesmente desistir!
Um beijinho

Maria João disse...

Amiga...

Pois é verdade, ninguém foge ao destino e mesmo quando pensa que está a fugir dele, está apenas a cumpri-lo. Porque não tenho duvidas que somos nós que traçamos, essa misteriosa e enigmática caminhada.

Beijinhos, com todo a ternura de quem é sempre acarinhada por ti.

Pena disse...

Estimada e Sensível amiga:
Um Post de fazer pensar.
Ninguém pode evitar o término. O fim inevitável.
Narrado com interesse e com uma mensagem clara, óbvia e evidente.
Um dia "partiremos" sem retorno.
Sempre a admirá-la
Beijinhos

pena

Daniel Costa disse...

Mariazita

A história é bonita, a conclusão é normal, a esperada, por vezes medito no rapaz destino, chego sempre à conclusão que o destino, é uma palavra para definir algo. Tendo o valor de sina, teremos de lutar para que o destino nos favoreça.

Entretanto abri, no mesmo painel, o "amigos selinhos", convido a ires linkar o que postei hoje, 12/11/2009.
Beijos

Fernanda disse...

Querida amiga Mariazita,

Será meso que a morte tem dia, local e hora marcada???!!!

Segundo a história aqui contada, de uma forma que eu muito admiro...nada complexa, nada misteriosa, tudo indica que sim.

Se ninguém foge ao destino... também há quem cave a sua própria sepultura e há ainda quem se suicide, por isso não sei muito bem...será que estava destinado que assim fosse???

Seja como for, a morte quando me vier buscar estarei pronta, já não me aflige esse pensamento, não sei explicar porquê mas é o que sinto.

Adorei a história, acho que a Mariazita tem um jeito especial para nps contar histórias.
Parabéns.

Beijihos e abraços,

Ser em construção disse...

muito legal aproposta do seu blog,
creio que você irá gostar de um blog que eu sigo Farofa de batatas
Dá uma passadinha lá e me diga o que achou!
Ah! o meu, bom, o meu é o Em Construção.
beijos

Canduxa disse...

Manita Querida,

Mais uma das tuas belas histórias…. que descobres sei lá onde!
Esta história traz uma mensagem forte sobre a morte e serve para uma boa reflexão.
Devemos encarar a morte como algo tão natural como o nascimento e não é preciso ter medo e fugir de algo que está destinado.
Deveríamos estar preparados para partir...mas nunca estamos, isso é a realidade.

Meu beijinho de luz com muito carinho

canduxa

Farofa de Batata =] disse...

Moçaaaa ^^

Mto obrigada pela visita, volte sempre!! Adorei seu blog!!Te add no favoritos....

Adoreiiii esse post, tenho fascinação por lendas =]

Bom Domingo!!!
Miquilisssss
Bru

Aislin Nahimana disse...

Muito boa a história! Uma história que da pra tirar várias lições pra nossa vida!

bjosss!!!

aislinnahimana.blogger.com.br

Sandra disse...

Ola Amiga!
Tudo bem??

VIM DEIXAR UM SELO BEM ESPECIAL PARA VC.
TE ESPERO NESTE ENDEREÇO.
http://sandraandrade7.blogspot.com/



Estou te aguardando, certo.
http://sandrarandrade7.blogspot.com/
Venha participar desse momento.

Obs,.
Todos os selos estaram sempre no final da página e em dias diferentes.
Não se perca, venha que eu te espero.
Com carinho

meus instantes e momentos disse...

linda historia, parabens pelo blog, é sempre muito bom voltar aqui.
Maurizio

Anjo azul disse...

Parabéns pelo seu maravilhoso Bolg
Lindo!!!!`
Que a vida lhe sorria com felicidades

AnjoAzul

Isa disse...

Maria,a nossa Amiga Sandra pediu-me para lhe dizer q.ñ consegue entrar no seu blog.
Abraço.
isa.

PS:- vou passar-lhe de novo o nome do
blog.

Sandra disse...

Obrigada pela visita e por ter ido na festa. Chegou antes que eu. Muito obrigada.
Sandra

In Cucina disse...

Querida Mariazita, é verdade, ninguem foge de seu momento final, em algumas situações até temos condições de atuar!

Como geógrafa gostei dos mapas e devo parabenizá-la por ter usado, pois facilita a compreensão.

Beijos brasileiros, Teresa

Luis F disse...

Gostei muito de ler esta lenda e de a conhecer...

Obrigado pela partilha e pela história aqui deixada.

Bjs
Luis

António Gallobar disse...

Olá amiga Mariazita

Mas que belo conto, aqui encontro. Acho que tem um talento nato, para nos por a pensar, fazendo jús ao nome do blog que é fantastico, breve ele será o meu blog da semana. Quanto á história propriamente dita, dizem que ao destino ninguém foge, mas eu sou dos que acham que nós também o fazemos todos os dias da nossa vida. Há morte ninguém foge é bem verdade e é uma verdade que nunca estaremos preparados para a enfrentar.

Beijinho

António Gallobar disse...

Olá Mariazita

Não deixe de passar pelo meu blog tem lá um desafio para si.

Beijinho

Oliver Pickwick disse...

Sou daqueles que não acreditam em nenhuma forma de determinismo. Tudo é acaso.
Um beijo!