quarta-feira, 7 de julho de 2010

O SOM DO BÚZIO

Peço às minhas amigas e aos meus amigos que me permitam dedicar esta postagem à minha Amiga PÉROLA

Há tempos ela perguntava porque é que se ouve o som do mar encostando o ouvido a um búzio. Eu prometi explicar-lhe. Para o efeito escrevi este modesto conto, passado no reino da fantasia.
Espero que gostem.


Andava o belo mancebo passeando na praia, absorto nos seus pensamentos quando foi “despertado” por um som anormal vindo do mar.
Olhou na direcção donde vinha o estranho som, que lhe pareceu de barbatanas, anormalmente alto. Parou, estupefacto. O que viu encheu-o de assombro:
O tronco de uma mulher belíssima, batendo alegremente com as mãos sobre a água, ao mesmo tempo que enormes barbatanas, que pareciam ser a continuação do seu tronco, se moviam em lentos movimentos, fazendo um remoinho de espuma à sua volta.
Longos cabelos negros desciam-lhe pelas costas, formados por algas marinhas, e do pescoço, marmóreo, pendiam grandes colares de pérolas que lhe ocultavam os seios.
Notando a presença do jovem rapidamente mergulhou; mas, curiosa, apareceu novamente, desta vez mantendo as mãos quietas sobre as ondas, movendo as barbatanas muito lentamente.
O jovem não conseguia desviar o olhar nem dar um passo em qualquer direcção.
A sereia, pois que duma sereia se tratava, continuou a olhá-lo por alguns momentos; mas, notando que o jovem não saía do seu lugar, nadou rapidamente para um pequeno rochedo que se encontrava próximo do rebentar das ondas, subiu e sentou-se.
Levando aos lábios um búzio começou a entoar uma canção. Era um som mágico, atraente, hipnotizador.
O jovem, sem pensar, imediatamente correu na direcção do rochedo e, lançando-se ao mar, nadou a pequena distância que o separava do penedo. Apoiando as mãos na rocha, com um leve movimento ergueu-se, e de imediato se encontrou junto da sereia.

Perguntou-lhe, meigamente:
- Donde vieste? Eu venho aqui todos os dias, espairecer a minha tristeza, e nunca te vi…
- E qual o motivo dessa tua tristeza? – indagou a sereia, sem responder à pergunta.
- A família da minha amada mudou-se para as montanhas. Eu não posso estar separado da mulher que amo… mas assusta-me ir viver para lá. Nasci à beira mar e é aqui que me sinto feliz. Adoro o mar. Adormeço embalado pelo som das ondas a beijar a areia.
O que fazer? Eu quero, eu preciso, estar junto da minha amada, mas preciso também ouvir o mar…
- Não desesperes. Não sabes que para tudo há remédio na vida? Olha para mim. Eu sou filha dum deus marinho e duma bela mulher terrena. O meu coração está sempre dividido entre a terra e o mar. O meu problema é muito semelhante ao teu…
- E qual foi a solução que encontraste? – perguntou o jovem, uma leve esperança a despontar.
- Encontrei a solução possível. Vivo no fundo do mar, mas todos os dias procuro um rochedo onde me sento algumas horas, olhando a terra ao longe, sentindo o chamamento da minha Mãe que lá se encontra sepultada…
- E consegues ser feliz assim?
- Não há felicidade completa, apenas existem momentos felizes. É nosso dever, de todos os seres existentes no mundo real ou imaginário, construir muitos desses instantes.
- Eu já fui feliz muitas vezes. Quando tinha a minha amada junto a mim. Mas agora, com ela tão longe… assalta-me uma tristeza enorme, que só se atenua com estes passeios à beira mar…
Mas depois lembro-me que vou ter que me separar deste mar que adoro, e volto a ficar triste. E, à medida que se aproxima o dia da partida, sinto-me muito estranho, desejando partir e ficar ao mesmo tempo.
A sereia olhou-o longamente, com ar pensativo. Depois disse:
- Para isso eu não tenho remédio; só tu podes decidir se queres ir ou se queres ficar… Mas vou dar-te uma pequena ajuda.
Estás a ver este búzio?
- Sim, usaste-o para entoar aquela deliciosa melodia…
- Desde há longos anos que me acompanha, mas vou oferecer-to.

E fazendo um gesto largo com a mão sobre as ondas, como quem apanha algo, pousou a mão sobre a abertura do búzio. E falou assim:
- Acabei de encher o búzio com o som das ondas do mar.
Retirando uma pérola do pescoço, introduziu-a no búzio, acrescentando:
- Assim o som não pode sair, vai conservar-se lá dentro.
E, inclinando-se sobre o rosto do mancebo depositou em seus lábios um ardoroso beijo.

- Agora, sempre que encostares o búzio ao teu ouvido, ouvirás o som do mar e lembrar-te-ás de mim.
Mergulhou e rapidamente afastou-se do rochedo. O mancebo nadou a pequena distância que o separava de terra.

Caminha agora pela areia, conservando o búzio na mão. Lágrimas deslizam pelo seu rosto. Uma cai dentro da concha, indo juntar-se à pérola oferecida pela sereia, fazendo surgir entre eles, pérola e lágrima, um forte sentimento de Amor que perdura até aos dias de hoje.

A partir desse momento passaram a ouvir-se, encostando a concha ao ouvido, os seus lindos murmúrios de Amor, semelhando o marulhar das ondas do mar.

OBS - Texto de minha exclusiva autoria, fruto apenas da minha imaginação
Mariazita, Julho de 2010

35 comentários:

SAM disse...

Que linda estória, Mariazita! Obrigada amiga pelo belo texto. A parceira Pérola vai ficar feliz, tanto quanto eu fiquei com esta maravilha.

Beijãoooooooo

Marilu disse...

Querida amiga Mariazita, senti-me deitada em minha cama de criança, e minha mãe lendo uma linda história para mim. Contos do mar sempre me transportam para um mundo imaginário, e esse é maravilhosamente lindo. Tenha certeza que a Pérola vai amar...Beijocas

Isa GT disse...

Uma explicação muita mais bela do que dizer, simplesmente, ser apenas vento fluindo pela concha ;)

Bjos

Saozita disse...

Olá minha querida amiga, como vão as tuas férias, espero que boas.
Gostei imenso desta estória, que me fez recordar muitas das estórias que ouvia com agrado, especialmente no Inverno junto à lareira ( como era da tradição ).
São estórias lindas, que nos embalam para o sonho, aínda que acordadas.

Tem uma boa noite, minha amiga.
Fica bem.
Beijinho.

PS: Deixei um selinho para ti, na minha galeria de selos. E enviei-te um convite por e-mail.

Pérola disse...

Eu ñ creio!!!
É linnnnnnnnnnnnndo amada,fiquei emocionada.Nem sei como te agradecer minha flor,adoreiiiii.
Obrigado amada pela resposta,agora entendo a beleza q o som me proporciona e é fácil descobrir agora o eco maravilhoso que soa aos meus ouvidos.
Vc é muito linnnnnnnnnnda.
Me perdoe pela demora cheguei quase agora do trabalho e vim correndo te visitar.
Obrigaduuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu.
Beijos minha flor.

Saozita disse...

Querida amiguinha, estava com a ideia de que tinha o teu e-mail, mas afinal não o tenho. O convite é o seguinte, no próximo Sábado dia 10 de Julho, e caso te seja possível, vou reunir em minha casa algumas amigas bloggers e gostaria de também te ter cá, na Maia. Ficaria muito feliz, se fosse possível.

Fica bem minha querida amiga.
Beijinho

meu e-mail: saozita.magalhaes33@gmail.com

Daniel Costa disse...

Mariazita

Um conto dedicado à amiga Perola. Ele própria uma das tuas pérolas, que também foi de meu gosto.
São verdadeiras pérolas, que mostas nos teus post's
Beijos

Bergilde Croce disse...

Uma linda explicação e me convenceu muito mais do que a forma mais racional.Abraço amiga e até mais porque estarei descolegada em férias!
Bergilde

lis disse...

Lindo conto Mariazita muito lindo
Sua imaginação é fértil e traz muita ternura .
Obrigada por partilhar conosco.
Agora quando encontrar uma concha no mer vou sempre lembrar da Mariazita e contar essa história belíssima.
abraços e descanse ,mas volte ,ok?
fico sempre espreitando por aqui rsrs
beijinhos

AC disse...

A história ganhou vida com as pinceladas hábeis e sabedoras da Mariazita.
Que imaginação maravilhosa!

Beijo

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

És única, e no entanto saem de ti inúmeras e segues sendo sempre a mesma!!! És Linda! Muito bom o texto.

Para ti
Te amo
De improviso és tão diferente
Como és estranha esta noite
Raciocinas como se eu não fosse
aquilo que sou.
De acordo mas o amor é um sentimento
Dimensão ele não tem.
Primeira flor tu és
Que doce encanto
Preciso de ti
Não és sincero
Sem ti morreria
Te amo
Te amo.
E nós dois para sempre
Nasce o nosso dia
E nós dois para sempre
Basta estarmos escondidos aqui.
Sonhos juntos
Hoje como antes
Como o primeiro dia
E nós dois para sempre.
Desde quando me mudaste por dentro
Nos teus pensamentos caminho
Uma idéia levo comigo
Aquilo que és
Por quanto restarás ao meu lado
A resposta não a sei.
Primeira flor tu és
Que doce encanto
Preciso de ti
Não és sincero
Sem ti morreria
Te amo
Te amo.
E nós dois para sempre
Nasce o nosso dia
E nós dois para sempre
Basta estar escondidos aqui.
Sonhos juntos
Hoje como antes
Como o primeiro dia
E nós dois para sempre.
Sonhos juntos
Hoje como antes
Como o primeiro dia
E nós dois para sempre!

*traduzida por euzinha e revisada.
Antes: por que passas em todos os cantos, e não passas no meu? Sabes que adoeci. Melhorei um pouco, por isso cá estou. Já te disse como estou.
Beijos!
Boa noite, querida*

Chica disse...

Que lindo e me vi andando na praia, ouvindo o som das conchinhas.Adorei.Lindo!beijos e tudo de bom,chica

Livinha disse...

Criatividade 1000!!!
Você é uma excelentíssima escritora, cria, contorna, dá voltas e completa com teor, com encanto. Sugestiva a toda a prova, resumidamente maravilhosa.
Ah como é bom te ler minha querida. Alcanças as pairagens benditas na fantasia de tuas emoções.
Eu simplesmente assim digo: Sou tua fã!!!

Linda noite pra ti
Bjs mil
Livinha

Ps:Maravilhosa resposta dada a nossa amiga Pérola. Não há como não sentir o encanto de tuas palavras.

Maria Soledade disse...

Toc...Toc...posso entrar?!Huummm, creio que sim.Por curiosidade(mulher,né?)vim espreitar o blog da Mariazita "atrevidamente" embalada pelo blog do Kim.

Mariazita.Bom,que dizer?Fiquei muda ao ler esta BELÍSSIMA estória dedica à Pérola.Uma imaginação sem limites, tendo como pano de fundo o mar...esse mar que eu comtemplo quando a tristeza teima tomar posse de mim.Sabe?Aínda hoje, conservo essas enormes conchas(havia muitas em minha casa),e volta e meia lá me ponho a escutar esse som maravilhoso do mar.Parece ouvir-se o marulhar das ondas!!

Sem querer, entrei na estória, tal como acontece em qualquer livro que leio.Que bem contada, que bem descrita, que narração fantástica...Parabéns Mariazita.

Parabéns à sua amiga Pérola por ter uma Pérola assim como amiga...

***desculpe ter entrado assim...pela surra!!

Beijinhos Muitos

Marilu disse...

Tenha um lindo final de semana..beijocas

Fátima disse...

Minha querida Mariazita
Ando tão desconcentrada...
Sou surda sereia
em uma pedra sentada.
E não ouço o barulho do mar.
Pode um búzio me arrumar?
Estou tão triste...
Obrigada!
Com carinho
Fátima

helia disse...

Mas que bela história de encantar , semelhanta às que antigamente se contavam às crianças , mas agora as crianças gostam mais de jogos no computador , o que é uma pena, pois estas histórias são maravilhosas e esta do búzio é realmente um encanto!
Continue a oferecer-nos lindas histórias de encantar, porque é um prazer lê-las
Uma boa semana com mais Histórias de encantar...

Vitor Chuva disse...

Olá Mariazita!

Esta bonita explicação sobre a origem do som que ouvimos vindo do interior dum búzio, faz-me lembrar os tempos em que na praia da Figueira os encostávamos ao ouvido, acreditando piamente que aquele era a reproduçãp do murmúrio do mar.
A Mariazita não se satisfez com explicação tão prosaica,e resolveu rechear este seu búzio de fantasia, e juntar-lhe uma sereia, mais um amor ausente e distante, e daqui saiu uma muito bem tecida e linda história de encantar.
Mas, olhe! Só não estou certo que não tenha criado um novo problema ao pobre apaixonado: como irá ele decidir-se, agora, entre dois amores,ainda por cima tão distantes, já pensou... ?

Parabéns pela criatividade, imaginação, e imensa fantasia.

Beijinhos; bom domingo.
Vitor

Fernanda disse...

Querida Mariaziata,

Lindo e emocionante.
A Ângela deve estar no céu com este seu belíssimo texto.
Ela é querida e merecedora.

Sempre admirei as sua capacidade criativa e a forma como narra os seus contos.
Admirável.

Um dia conte-lhe a minha história inventada para o meu filho sobre a sereia que encantou o pescador e o levou consigo para dentro da sua concha gigante (lar) no fundo so mar.

Beijinhos

Na casa do Rau

Naty e Carlos disse...

A distância pode causar saudades, mas nunca o esquecimento."
Boa semana
Bjs

Fenix disse...

Amiga Mariazita!
Há quanto tempo aqui não vinha!
Que saudades!...

Lamento ainda não ler agora o texto, é longo e promete ser muito bonito. Terei que voltar mais tarde.

Queria só deixar um beijinho de saudade.
São

poetaeusou . . . disse...

*
vamos sereiar a Mariazita,
nas ostras das suas palavras,
perolas feitas PÉROLA,
no olhar de quem as lê,
,
conchinhas, deixo,
,
*

Fátima disse...

Mariazita... Eu não disse?
Ando tão desconcertada...
Pelos búzios eu nem disse obrigada.
Claro, ouvi o marulhar!
Até deitei nas ondas do seu mar.
Fiquei olhando para o céu
e pus-me a pensar:
Além do oceano eu tenho uma amiga.
Obrigada minha querida.

Com carinho
Fátima

O Profeta disse...

Esta ilha não tem fortuna
Trocou-a por um curioso mistério
Este irreal e intenso verde
Que inunda o olhar mais sério

Nesta ilha há um beijo na tua procura
Nesta ilha as pedras não têm idade
Nesta ilha as juras são lançadas à maresia
Nesta ilha o sonho é janela da verdade

Doce beijo

Clarinha disse...

Eu adoro o som que vem dos buzios , e com essa sua estorinha romântica esse som ficou ainda mais acolhedor.

Beijinho.

p.s. Sou a terceira Amélia que você disse ainda não conhecer, filha da Fátima.
Tenho andado ausente do blog, coisa que minha mãe vive me cobrando, é que estou cursando o último ano de fisioterapia período integral, e estou as voltas com TCC, estágio e outras coisas mais,e como se não bastasse, resolvi prestar medicina então faço cursinho a noite.
Me diga, blogar que horas!
Mas é um prazer conhecer e receber vocês todos , e espero que minha mãe esteja fazendo as honras da casa,rs.
Agradeço também todo carinho com que se relacionam com ela,pode acreditar que lhe faz muito bem.
Ela é uma pessoa incrível (sei que sou suspeita)e a amo muito.

Beijo , prazer em conhecer.

Cida disse...

Lindo e envolvente texto amiga.
Aliás, como todos os teus!...:)

Um pouco de magia e encantamento, sempre faz a vida ficar mais leve.

Um beijo no teu coração

Cid@

Fernanda disse...

Amiga Mariazita!

Antes de mais se me permite, gostaria de lhe perguntar se está tudo bem? Li na Sãozita algo que me deixou apreensiva.
Espero que não seja nada de especial.

Depois, porque não cheguei a responder-lhe sobre termos publicado o mesmo conto, mas com leves nuances, faço-o agora.

Quando li aquele conto sabia que o conhecia, mas não me lembrei logo de onde.
Só depois de ter lido o seu comentário é que entendi logo.
De qualquer forma, são diferentes.
O seu tem uma donzela que apaixonada tenta cultivar uma flor cuja semente estava queimada e acabou por casar com o seu príncipe encantado.
No meu, é um rapazinho que cultiva a mesma semente, e que por ser o único a apresentar o pote vazio vai ser o descendente que o rei não tinha.

Eu sou louca por estes contos.
Deve ser a criança que ainda está em mim que me faz ama-los tanto.

Beijinhos.
Espero notícias.

Táxi Pluvioso disse...

Mais tarde inventaram os transístores e a malta também encostava o ouvido para ouvir o relato. Bela história.

Nem de propósito tinha metido o som do búzio no último post.

Fernanda disse...

Querida amiga Mariazita!

Espero que esteja pronta para ouvir o som do mar, ao vivo e cores!!!
Passa-lhe logo tudo!

Sou louca por conchinhas e búzios e especialmente de beijinhos do mar...e dos outros também ^_^ claro!
Tinha em casa um búzio enorme que acabei por oferecer à namorada do meu filho. Lá na Suíça não há mar...
Mas, a verdade é que, costumava matar saudades do mar encostando o búzio ao ouvido, e ouvia...

Beijinhos

Na casa do Rau

Luis disse...

Minha Querida Amiga Mariazita,
Mais um lindo conto por si apresentado neste seu belo Blogue. Fiquei fascinado com o desenrolar do mesmo. Parabéns pela sua brilhante imaginação! Adorei.
Um beijinho muito amigo.

Luis disse...

Minha Boa Amiga Mariazita,
Esqueci-me de lhe dizer que tenho dois lindos e grandes búzios na minha caseta do Alentejo e na verdade ouve-se o ruido do mar quando os chegamos aos ouvidos...
Beijinhos amigos.

Pérola disse...

Saudades de vc minha amada.
Um beijo grande minha florzinha.

Pérola disse...

Feliz dia do amigo minha linnnnnnnnnnda.

relogio.de.corda disse...

"Não há felicidade completa", grande verdade! Minha cara, adorei o seu conto.

Graça Pereira disse...

Querida Mariazita
Só uma pessoa com alma tão sensível como a tua...conseguiria escrever esta história cheia de ternura e esperança...
Obrigada por seres minha amiga!
Graça