quarta-feira, 22 de abril de 2009

LENDA DA SERRA DA ESTRELA

Lenda da Serra da Estrela

"Era uma vez um jovem pastor que vivia numa longínqua aldeia. Por único amigo tinha um cachorrinho, que, nas longas noites de solidão, se deitava a seus pés sem esperar nenhum gesto, nenhuma palavra.
Sofria este pastor de uma estranha inquietação: cismava alcançar uma Serra enorme que via muito ao longe, as terras que existiam para lá da muralha rochosa que constituía o seu horizonte desde que nascera. E muitas noites passava em claro, meditando nesse seu desejo infindável.
Certa noite em que se julgava acordado, sonhou que uma estrela descia até a si e lhe segredava que o guiaria até ao objecto dos seus desejos.
Acordou o pastor mais inquieto e angustiado que nunca, e procurou no céu a verdade do que sonhara.
Lá estavam todas as estrelas iguais a si mesmas, imutáveis e eternas, aparentemente. Mas estava também uma que lhe pareceu diferente, a mais sua.
Passavam-se os dias e o desejo do pastor aumentava, fazia doer-lhe o corpo, ardia-lhe febril na cabeça. De noite, todas as noites, procurava no céu a sua estrela diferente. E em sonhos ela aparecia-lhe muitas vezes desafiando-o, desafiando-lhe sempre a vontade. Mas a vontade por vezes é tão difícil!
Uma noite, num ímpeto, decidiu-se. Arrumou tudo o que tinha, e era nada, chamou o cão e partiu. Ao passar pela aldeia o cão ladrou e os velhos souberam que ele ia partir. Abanaram a cabeça ante a loucura do que assim partia à procura da fome, do frio, da morte. Mas o pastor levava consigo toda a riqueza que tinha: a fé, a vida e uma estrela.
E o pastor caminhou tantos anos que o cão envelheceu e não aguentou a caminhada.
Morreu uma noite, nos caminhos, e foi enterrado à beira da estrada que fora de ambos.
Só com a sua estrela, agora, o pastor continuou a caminhar, sempre com a serra adiante. E, à medida que caminhava, a serra ia sempre ali, no mesmo sítio e à mesma distância. Passou todas as fomes e frios que os velhos lhe tinham vaticinado.
Atravessou rios, galgou campos verdes e campos ressequidos, caminhou sobre rochedos escarpados, passou dentro de cidades cheias de muros e gente, mas a montanha dos seus desejos nunca a baniu do coração.
Por fim, já velho, alcançou a muralha escarpada que desde a infância o chamava. Subiu até ao mais alto da serra e ali pôde então largar o desejo do seu coração, agora em paz e sem desejo.
O horizonte era vasto, tão vasto e maravilhoso, a impressão de liberdade tão avassaladora que o pastor, sem falar, gritava dentro de si um hino de louvor que mais parecia o vento uivando por entre os penhascos rochosos de silêncio.
Instalou-se o velho pastor e a sua estrela com ele, no céu.

O rei do mundo, porém, ouviu falar naquele velho pastor e na sua estrela fantástica. Mandou emissários à serra: todas as riquezas do mundo daria ao pastor em troca da sua pequena estrela.
O pastor ouviu com atenção o que lhe mandava dizer o rei. Depois, olhou em volta. Tudo eram pedras e rochedos. Uma côdea de pão negro e uma gamela de leite as suas refeições. A sua distracção a paisagem "infinitamente" igual e diferente do mundo lá em cima. A sua única amiga, a estrela.
Suavemente, como quem sabe o segredo das palavras e o valor de todos os bens possíveis, virou-se para os emissários do rei do mundo e rejeitou todos os tesouros da terra, escolhendo a pequenez da sua estrela.
Passaram os anos e o velho morreu. Enterraram-no debaixo de uma fraga e nessa noite, estranhamente, a estrela brilhou com uma luz mais intensa. Os pastores da serra notaram essa diferença porque a reconheciam também entre as outras, pelo que o velho lhes contava em certas noites.
E desde então a serra passou a chamar-se, para sempre Serra da Estrela".

NEM TODOS OS TESOUROS DO MUNDO PAGAM A REALIZAÇÃO DE UM SONHO.

Serra da Estrela no Inverno

Serra da Estrela no Verão

Serra da Estrela – Lagoa Comprida

18 comentários:

Canduxa disse...

Minha Querida Mariazita , esta história é linda!
Tão linda, que quase não queria deixar de a ler.
Senti a estrela brilhar dentro de mim e tal como o pastor senti que a estrela, aquela que é só nossa e brilha com mais intensidade, não a devemos trocar por nada deste mundo.
Tudo passa, tudo se desfaz mas a estrela, que é a nossa felicidade, essa é que nos alimenta e nos faz sorrir em cada dia que amanhece.

E para ti, que também és uma estrela…

Estrela que brilhas intensamente
Estendo os braços para te abraçar
Olho-te nostálgica no tempo
Sinto saudades do nosso mar

Mil beijinhos da tua manita do coração
canduxa

Valdemir Reis disse...

Olá Mariazita que maravilhoso é voltar neste espaço! Parabéns pela linda história, que maravilha de trabalho! Recheado de inteligência, beleza, e originalidade. Fantástica sua publicação “Lenda da serra...“, ótima e harmônica construção. Quero na oportunidade retribuir sua atenção e gentileza, obrigado. Já sou seu seguidor. Feliz e honrado por sua amizade. Quem encontrou um amigo, encontrou um tesouro... Deixo aqui todo o meu especial carinho, minha especial atenção e obrigadoooo mesmo de coração por nos seguir. “A amizade é como as estrelas. Não às vemos toda hora, mas sabemos que existem.” (Marina de A. C.) Aguardando por sua visita! Encontrar-nos-emos sempre por aqui. Felicidades. Votos de uma semana recheada de sucesso extensivo aos familiares, muita paz, saúde, muito brilho, bênçãos, proteção e alegria. Fique com Deus. Um abraço fraterno.
Valdemir Reis

Maria João disse...

Amiguinha...

"..toda a riqueza que tinha: a fé, a vida e uma estrela."

Destaco esta frase em particular, da história tão bonita que acabei de ler, porque penso e sinto que não necessitamos mesmo de quaisquer outro tipo de riqueza... a fé, a vida e uma estrela é quanto baste para construir e seguir o sonho e experienciarmo-nos enquanto vida!

Porque esta história nos fala do valor de uma estrela na nossa vida, lembrei-me de outra história sobre o valor das estrelas que escrevi já há algum tempo e que poderás ler em:
http://mariaescrevinha.blogspot.com/2008/07/o-valor-das-estrelas.html

Muitos beijinhos, como sempre... as coisas que eu aprendo contigo!

Maria Clarinda disse...

Excelente a história e as imagens!!!Não conhecia esta lenda!
Obrigada por ela. Jinhos mil

O Profeta disse...

Ó chamateia que fala da saudade
Ó canção que pões um brilho nos olhos
Ó mulher que tens a forma da viola
Ó que espalhas paixões aos molhos

E o cantar da meia-noite
A todos encanta e seduz
Cantar até que morra a voz
Cantar até que haja luz


Vem tocar uma Viola de dois corações



Mágico beijo

com senso disse...

Amiga Mariazita

Achei este pequeno conto belíssimo! E sabe o que mais me fascinou? Foi o encontrar nele a beleza ingénua e tranquila das antigas histórias que ouvi e li quando era menino!
A Mariazita conseguiu trazer-me de volta os sentimentos e as sensações dos melhores tempos da minha infância!
Mas esta história, ou lenda, não tem nada de infantil. O que tem é uma imensa pureza, uma grandeza feita de uma simplicidade desarmante.
Uma grandeza própria de quem, não só domina a técnica da escrita na nossa lingua, mas também de quem sabe, com mestria, colocar nela beleza e emoção.
Obrigado.
Um beijinho com amizade.

PS - A vontade de dar a minha opinião sobre este seu magnifico texto foi tão imediata e espontânea que quando o li, após o ter publicado há minutos, vi que estava cheio de falhas (troca de letras, omissão de palavras, etc...). Por isso tive de o eliminar e republicar depois o mesmo comentário, já corrigido. Peço desculpa.

Zé do Cão disse...

Vim marcar a presença. O Zé também tem uma ela.
Também tive um cão lindo como esse e também "serra da estrela" chamava-se Mondego. Morreu, aflito sem o seu dono dentro da mala de um carro que um idiota estúpido lá pôs.Tenho , já não sei se felizmente ou in, algumas histórias na Serra da estrela, algumas bem engraçadas outros felizes como o teu velho.

Beijocas

Justine disse...

É mesmo uma história de encantar:))
E as fotos...a do cão, então, é de derreter!

Quanto ao teu pedido, eu lamento imenso não poder ajudar-te, mas sou uma completa analfabeta nestas coisas. Tudo foi montadinho no meu blog, sem eu fazer um esforço sequer, por um amigo "experto", e a manutenção é feita pela minha irmã, também "experta". Eu limito-me a escolher as músicas, a colocá-las num servidor, e através dele ,nas "tripas" do meu blog(no modelo). Lá terás que bater a outra porta:))
Abraço, e obrigada pela tua visita

Pjsoueu disse...

Estimável Mariazita, hoje foi a primeira vez - certamente a primeira entre muitas - que aqui entrei..

Gostei imenso da desta lenda e por sinal muito bem escrita; dum jeito" deveras empolgante:)

beijos


Pj

meus instantes e momentos disse...

que lindo teu blog.
Volto para ler tudo com a calma que vc merece.
Maurizio

Penso logo existo disse...

Uma maravilha minha amiga, uma história fantastica, que prende o leitor desde a primeira linha, tem chama e tem sobretudo muita magia achei simplesmente fantastico e o final sem a menor duvida uma verdadeira preciosidade esta "Serra da Estrela".

Que a tua estrela brilhe sempre
beijinho
Antonio Gallobar

Valdemir Reis disse...

Obrigado! Obrigado! Obrigado! Olá Mariazita volto para agradecer por sua visita e também pelo seu gentil e amável comentário. Sinto-me feliz e honrado por sua amizade, muito gratificado pelo apreço que demonstra ao nosso trabalho. Obrigado mais uma vez por sua presença freqüente. James Greene costumava dizer; "Todo o bem que eu puder fazer, toda a ternura que eu puder demonstrar a qualquer ser humano, que eu os faça agora, que não os adie ou esqueça, pois não passarei duas vezes pelo mesmo caminho.” Confesso que é muito confortante ter bons amigos mesmo que seja virtual, não importa. Assim desejo tudo de bom para você. Volte sempre! Encontrar-nos-emos sempre por aqui. Felicidades. Tenha uma semana recheada de muito brilho, sucesso, paz, saúde, bênçãos, proteção e alegria. Que Deus esteja presente em cada momento. Um fraterno abraço.
Valdemir Reis

Rafeiro Perfumado disse...

Detesto histórias em que o cão morre... ;)

Francisco Sobreira disse...

Querida Maria,
Uma linda história sobre a obstinação em busca da realização de um sonho. E ainda do valor desse sonho realizado, que faz com que quem o buscou rejeite todas as riquezas do mundo. Uma lição de vida, que deveria ser seguida, principalmente numa época em que se dá um valor desmesurado às coisas materiais. Um beijo grandoso.

J. Araújo disse...

MUita linda a história. Isso mostra que devemos correr atrás dos nossos sonhos mesmo que tivermos de escalhar montanhas, campos e cidades.

Bj

Whispers disse...

Wow!

Que fotos lindas.

Gostei da historia,não conhecia.
Desculpa ter entrado.mas vim do blog do amigo,Daniel e gostei do que li não ia sair sem um comentário deixar

Beijos

Whispers

Daniel Costa disse...

Mariazita

Uma excelente efabulação sobre a designação da Serra da Estrela. A maior serra de Portugal, tem aspectos belos, que fotograficamente e muito bem evocaste.
Beijinhos,
Daniel

Multiolhares disse...

Não conhecia a história, achei linda, e também a lição que se tira,a verdade é que existem bens mais importantes do que os materiais
beijinhos