quarta-feira, 27 de outubro de 2010

LENDA DE ITAGUAÇÚ

Há muito tempo atrás, antes dos deuses nascerem, lá onde hoje é a praia de Itaguaçú, existia um lindo gramado onde pessoas, bichos e elementos se reuniam para fazer festas, piqueniques, ou simplesmente passear.
Nesse tempo o Gigante ainda não estava adormecido, mas já era o protector da ilha e de todas as pessoas que ali se divertiam.
Um dia foi organizada uma grande festa naquele local, para a qual foram convidadas as pessoas, os bichos e os elementos das matas, das águas e do fogo.
Havia sereias, lobisomens, duendes, silfos, salamandras, vampiros, homens, mulheres, tartarugas, ursos, elefantes marinhos, focas, etc.…
Todos vinham pelo caminho sagrado, chamado de “Caminho das Furnas”, que existia entre o Abraço e o Itaguaçu, passando pelo Bom Abrigo, lá onde o velho sábio fica sentado vendo todo o mundo passar.

Em Itaguaçú, lá no centro do gramado, existia uma grande mesa onde eram colocadas as frutas, verduras, ambrósia, mel, doces…que eram ali servidos para quem estivesse no local.

Tudo isso era preparado e transportado por pessoas especiais ( mulheres grávidas ou jovens virgens) para não macular os alimentos que eram servidos.

Trazia-se em balaios ou em peneiras de taquaras (ripa ou lasca de bambu) e cipós extraídos da mata na primeira lua cheia do verão, e tecido antes que a boca da noite findasse, e eram carregados sobre as suas cabeças para energizar os alimentos.
Mas para esta grande festa, o Tibinga, vulgo Coisa Ruim, Diabo, Demónio, etc., não foi convidado, o que o deixou muito furioso.
Assim que começaram os preparativos para esta grande festa, o Gigante sentou-se ao pé do Cambirela para apreciar o movimento.
Via-se uma mulher grávida trazendo um balaio na cabeça com frutas madurinhas e deliciosas.
Mais adiante via-se um casal de jovens, um indo outro vindo da mesa, onde depositavam as frutas e doces. A rapariga vinha com um balaio sobre a cabeça e o jovem, como já tinha deixado os doces, trazia a sua peneira emborcada sobre a cabeça.

Do seu posto o Gigante viu e riu muito, pois lá no meio do caminha o elefante marinho e as tartarugas erraram o caminho e deram de cara com uma coruja que dali observava tudo.
Acompanhou também os passinhos lentos e curtos do ursinho que tentava chegar à festa e se espantou com o carinho das morsas.
Depois disso resolveu tirar um cochilo e foi deitar-se.
Junto à mesa um negro tocava um orocongo e ao longe ouvia-se o som de uma rabeca.
Aquela música foi como uma canção de embalar para o Gigante, que adormeceu recostado nas montanhas.

Como o Tibinga tinha ficado fula da vida por não ter sido convidado para esta grande festa, e, sabendo que o gigante protetor da ilha dormia, transformou tudo e todos em pedra.

Ao despertar, o Gigante olhou para o gramado e espantou-se ao ver que tudo ali se tinha transformado em pedra; não viu mais os seus amigos: tudo se tinha transformado.
Olhou as tartarugas, o leão marinho e a coruja, totalmente petrificados.
Lá no meio do caminho o pobre ursinho também era pedra; as morsas, que já estavam quase lá, também ficaram petrificadas; a mulher a as crianças também.
- Meu Deus, até o velho sábio? – exclamou o Gigante, tristonho. Tudo e todos viraram pedras, e nunca mais os verei aqui no gramado, não haverá mais alegria neste lugar, e nunca mais falarei com os meus amigos.
O Gigante ficou muito triste, sentou-se ao pé do morro e chorou; chorou muito; chorou tanto que as suas lágrimas encheram toda a região e transformaram tudo em mar.
O Gigante ficou tão triste e desiludido que se deitou para nunca mais se levantar.
E quem olhar para os lados do Cambirela ainda verá o nosso amigo Gigante dormindo.
Para nós ficou a esperança de termos de volta o lindo gramado e também o sorriso alegre do Gigante, que, mesmo adormecido por entre os morros, ainda espalha a sua protecção sobre a ilha e os seus moradores.
E dizem que em noite de lua cheia ainda se ouve o gemido das pedras clamando para voltar à vida.

Baseado na lenda da praia de Itaguaçú.

Itaguaçu é um bairro da cidade brasileira de Florianópolis, capital do estado de Santa Catarina. Está situado na porção continental do município, ao sul, entre os bairros de Coqueiros e Bom Abrigo e a Baía Sul. O nome Itaguaçu é de origem tupi e quer dizer literalmente "Viveiro de Pedras Grandes" ou "Lugar onde há Pedras Grandes". Estas pedras constituem interessantes formações de granito à beira da praia de Itaguaçu e em meio ao mar da Baía Sul, havendo mesmo uma lenda que conta de bruxas que teriam sido petrificadas, dando origem às pedras, uma das quais parece ter um chapéu, e também há um conjunto de 6 pedras que formam um tipo de um círculo com uma sétima pedra no meio (alusão a ritual satânico)…
Existem pequenas praias urbanizadas nas quais alguns bares e restaurantes são especialmente agradáveis pela vista que se descortina, o que faz com que haja um bom movimento. Na praia há um deck de madeira. Infelizmente a balneabilidade destas praias não é recomendável devido à poluição, pois, embora haja rede de esgotos na região, ela não atende a contento, havendo muitas ligações clandestinas às galerias de águas pluviais.

21 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Mariazita
Não conhecia essa lenda. Acho incrível como as lendas sempre têm explicação para tudo. Adoro.
Bjux

Zélia Guardiano disse...

Adorei, Mariazita!
Como gosto de aprender!
E como você sabe narrar!
Post muito lindo, querida.
Enorme abraço e beijinhos

AC disse...

Mariazita,
Obrigado pelo encantamento, as suas histórias nunca desiludem.

Beijo :)

Nilce disse...

Conheço o lugar mas não conhecia a lenda, Mariazita.
É encantadora. Obrigada por compartilhar.

Bjs no coração!

Nilce

Maria João disse...

Mariazita

É muito interessante esta lenda. Aliás, as lendas têm sempre esse poder de dar um encanto especial à explicação das coisas.

Beijinhos

helia disse...

Mais uma linda História de Encantar! Lindas as pedras da praia!

mixtu disse...

conhecia pouco da lenda
por isso adorei...
muito lindo...

abrazo serranos

Desnuda disse...

Amiga,

desconhecia a lenda. Adorei saber desta forma maravilhosa e ilustrada tão bem. Obrigada, amiga!

Minha filhinha, graças a Deus, hoje passou o dia bem e creio que agora é pra melhorar de vez. Obrigada pela carinhosa atenção, Mariazita amada!

Beijo estalado de bom!

Angela Reis (Luna Luz) disse...

Excelente post! Adoro contos lendários. Não conhecia essa lenda, apreciei muito a forma como narrou.

Tenha uma boa noite! =*

Vitor Chuva disse...

Olá, Mariazita!

Nisto de tratar com o diabo todo o cuidado é pouco ...o belzebú parece que sempre espreita atrás da porta.
Bonita a lenda - uma forma de conhecimento popular - que para quase tudo sempre encontra uma explicação mais interessante do aquela que a ciência tem para dar.

Bom fim de semana; beijinhos.
Vitor

poetaeusou . . . disse...

*
numa lenda de encanto,
sobressai o encanto,
da encantada Mariazita !
,
conchinhas, ficam,
,
*

Marilu disse...

Querida amiga, tem selinho do Devaneios para você, espero que goste. Adoro suas histórias de encantar, volto e leio e releio. Tenha um lindo final de semana. Beijocas

Daniel Costa disse...

Mariazita

Adoro a cultura de todo o norte brsileiro, não sei se o Rio Iguaçu, na fronteira com o Paraguai, ainda faz arte de Nordeste, Mas todo o sítio que vou conhecendo através da Net e de amigos, é aprazível. A lenda que contas é um encanto, como todas as que aqui vais trazendo. Tive muito prazer em ficar a conhecer mais esta.
Beijos

Fernanda disse...

Querida Mariazita!

Como sabes adoro lendas!
Esta é toda ela muito especial, contando-nos ainda a possível "história" da formação rochosa na região.
Mesmo que seja pura fantasia, eu gosto, gosto assim como se fosse uma criança ingénua. Eu acredito!

Obrigada por partilhares estas maravilhas.

beijos

Luis disse...

Minha Querida Amiga Mariazita,
Mais uma bela lenda bem apresentada por Si como é usual. As suas crónicas são sempre muito apreciadas por conterem aspectos pouco conhecidos mas que são muito apetecíveis pela forma como os expõe. Adorei como sempre ler os seus escritos.
Um bom fim-de-semana e até breve, com um grande e amigo beijinho.

Graça Pereira disse...

Adoro lendas! Para além da sua parte de fantasia e mistério, existe sempre uma pontinha de verdade.
Gostei desta tão bem contada por ti!
Beijo e um bom feriado.
Graça

Rita Contreiras disse...

As lendas trazem uma magia que valoriza ainda mais o lugar.É tão envolvente que nos sentimos como parte dela. grande abraço.

Amizade disse...

Hola Mariazita,

Tienes un premio de luz en « Un Faro llamado Amistad. »

Argos * Tétis * Poseidón

Táxi Pluvioso disse...

E as coisas não mudaram muito. Ainda os bichos são convidados para as festas, não se transformam em pedras, mas comem muitos pastéis de bacalhau (ou é sushi? creio que mudaram para o sushi, nunca mais vi como se comporta o nosso jet-set).

armalu disse...

Que lenda linda . Adoro lendas e assim tão bem contadas me encantam.
Bom fim de semana que se aproxima, e tudo de bom para ti. bj

orvalho do ceu disse...

Olá, Mariazita
Lendas dão asas à imaginação...
Estou fazendo uma semana de reflexões com textos sobre o silêncio, acompanha,tá?
Saudações com votos de paz e alegria no Domingo.
Bjs